Câmaras Setoriais: priorização de registro de defensivos agrícolas

A Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), irá promover a utilização do método Analytic Hierarchy Process (AHP) para propor melhorias no processo de priorização de registro de defensivos agrícolas. O objetivo é consultar o setor produtivo nacional quanto às pragas que demandam maior necessidade de registro de defensivos agrícolas para o seu controle.

A consulta está sendo feita por meio de um formulário enviado pelo Mapa às Câmaras Setoriais e Temáticas. Os participantes poderão enviar a indicação de pragas-alvo e suas respectivas culturas até o dia 24 de março.

Atualmente os critérios para priorização dos produtos seguem as orientações estabelecidas pela Portaria Mapa nº 163/2015. Os critérios devem ser utilizados para a priorização dos processos de registro de defensivos agrícolas que envolvem o controle de pragas de maior risco fitossanitário para as diferentes culturas agrícolas, permitam o suporte fitossanitário adequado para essas culturas no conceito do manejo integrado de praga, a ampla competitividade no mercado e consequente redução dos custos de produção e que estimulem a fabricação e formulação de produtos no parque industrial brasileiro.

O método AHP já foi utilizado de forma conjunta entre o Departamento de Sanidade Vegetal e Insumos Agrícolas e a Embrapa para a priorização das pragas quarentenárias ausentes de maior importância para o Brasil, trabalho que serviu de base para a concepção do Programa Nacional de Prevenção às Pragas Quarentenárias Ausentes – PNPV-PQA, instituído pela Portaria SDA nº 131/2019.

Fonte: BeefPoint